Antes de iniciar o tratamento é importante que o paciente faça uma avaliação completa, com Endoscopia Digestiva Alta, Manometria de alta resolução e o Raio-X contrastado.
A adaptação da dieta, mudando para alimentos de consistência líquida e pastosa é importante, pois a desnutrição causada pelo emagrecimento dificulta a cicatrização e aumenta os riscos de complicações pós tratamento. O acompanhamento com nutricionista é recomendado.

Tratamento Endoscópico:

A acalasia pode ser tratada através de dilatação esofágica e injeção de toxina botulínica, porém são opções temporárias e com resultados limitados.

 

CIRURGIA ENDOSCÓPICA : MIOTOMIA ENDOSCÓPICA PER-ORAL – POEM

É hoje a melhor opção terapêutica para o tratamento da acalasia, independente da etiologia. Está indicada para os pacientes com megaesôfago Graus I, II e III, e tem a vantagem de ter menores taxas de complicação com excelentes resultados.

Tratamento Cirúrgico:

Está indicado para pacientes com acalasia até grau III.
O tratamento cirúrgico pode ser feito com a cirurgia de Heller, onde é realizada uma miotomia (corte do músculo do esfíncter inferior do esôfago) por via laparocópica, porém hoje existe uma opção com excelentes resultados e menos invasiva que é o POEM.

POEM É VIDA

O POEM (Miotomia Endoscópica Per Oral) é uma cirurgia realizada por via endoscópica onde primeiro realizamos um túnel submucoso e na sequência realizamos a miotomia do esôfago. A vantagem desse método são menor tempo cirúrgico, menor dor no pós-operatório, baixas taxas de complicação, alta hospitalar precoce e os excelentes resultados.

Para pacientes com megaesôfago grau IV, os resultados de miotomia, tanto Heller quanto POEM são ruins, devido à grande tortuosidade do órgão, e nesses casos a indicação terapêutica seria a esofagectomia com reconstrução usando estômago ou transposição de cólon.

Não sabemos o quão fortes somos, até que ser forte seja a nossa única escolha.